quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

ESPECIAL MÚSICAS DO MUNDO

E a música especial de hoje é...
(28 de Janeiro de 2014, morre o músico, cantor e compositor de folk norte-americano, 
Pete Seeger)

PETE SEEGER - «Oh! Lisa, Poor Gal»

3 comentários:

Anónimo disse...


BOA MÚSICA !!!

Muito Obrigada

Uma Alandroalense (L...)

Anónimo disse...

Já lá vão bem mais de cinquenta anos, a primeira pessoa que me falou de Pete Seeger, foi o João Fitas. Mais ou menos com estas palavras: "Anda praí um americano que diz e canta o que pensa. Olha que nem o FBI ainda o conseguiu calar"
Nunca mais me esqueci, e dentro dos condicionalismos que por essa altura a censura impunha, lá fui acompanhando a caminhada do homem. Do que ouvi e fui lendo, que não era muito, diga-se em abono da verdade, fiquei fã. Mais tarde, já em época de liberdade, fiquei a saber que tinha sido companheiro de Woody Guthrie, e que Bob Dylan e Joan Baez, também tinham por ele grande admiração. Em Portugal, em certa ocasião, ouvi o Sérgio Godinho dizer que Pete Seeger, era um dos seus compositores e cantores de intervenção preferidos. Mais satisfeito fiquei, pois senti que estava em boa companhia na minha admiração pela vida e obra deste homem. A partir daí comecei a minha colecção de discos e livros da sua autoria. E cada vez que lhe ouço os discos ou folheio os livros, sempre encontro alguma coisa nova.
Num dos primeiros anos da década de oitenta do século passado, deu um espectáculo em Lisboa. Fiz questão de estar presente. E cantar, desafinando, como é suposto, alguns dos refrões das suas canções. A meu lado, e ao lado dum Pavilhão dos Desportos, completamente lotado, também senti a "presença" do João Fitas.
Apenas uma curiosidade (porque me parece não ser do conhecimento da maioria das pessoas), sobre este compositor, sobre este cantor, sobre este homem: Talvez seja o único norte-americano que foi condecorado pelos Estados Unidos da América e pela República de Cuba. O presidente Bill Clinton e o presidente Fidel Castro, em ocasiões distintas, como está bem de ver, atribuíram condecorações a Pete Seeger. E pelo mesmo motivo: A sua obra, a sua luta pelos direitos cívicos e contra a discriminação.
E eu, hoje, sinto-me ainda em luto pela morte deste homem.
E agradecido ao Poet'Anarquista por esta lembrança.



Anónimo disse...

E quem é que poderá resolver esta charada dos Estados Unidos da América e a República Socialista de Cuba, condecorarem este homem pelos mesmos motivos. Certamente uma das condecorações estava imbuída de hipocrisia. A mim até me apetece dar opinião. Deixa.... fica para outra altura. Mas não esqueço que nos Estados Unidos, lá pelo fim dos anos quarenta, início dos anos cinquenta, Pete Seeger, também fez parte da "lista negra", e estava proibido de passar na rádio e aparecer na televisão. Até apanhou um ano de prisão porque decidiu mandar às malvas uma comissão do Congresso Americano Mas isso são outros contos, como diria o administrador do blogue.