terça-feira, 2 de março de 2010

Parceria- Pintura e Poesia







João Paulo Galhardas

BIOGRAFIA
Por força do destino nasceu em Coimbra no dia 30 de Julho de 1964, mas toda a sua vida foi passada no Alandroal.

Logo desde muito cedo se vieram a revelar os seus dotes para a pintura e desenho, com um percurso de evolução notável, tanto no domínio do traço como das cores.
Da sua obra constam os mais variados temas que englobam a banda desenhada, vistas do Alandroal, pinturas a óleo e aguarela, desenho a carvão, molde em pasta de papel, cartazes, caricaturas e desenho em barro.

Autodidacta por excelência, criava as suas próprias cores a partir de flores da Primavera que utilizava com mestria em ensaios de cor e, posteriormente, nas muitas obras que realizou.
Sem formação académica em Artes, pois tinha apenas o 12º ano de escolaridade, exerceu as funções de professor de Educação Visual na Escola Diogo Lopes de Sequeira do Alandroal e, mais tarde, veio a adquirir formação na área Arqueológica como Técnico de Arqueologia de Campo, uma paixão de longa data.

Do seu currículo artístico constam três exposições, duas em Vila Viçosa e uma no Alandroal.

Vítima de uma doença do foro psíquico, pôs termo á vida no dia 2 de Outubro de 1994 com apenas 30 anos de idade. Após a sua morte realizaram-se cinco exposições, três no Alandroal (Carlos Bar, Restaurante Zé do Alto e Átrio da Câmara Municipal do Alandroal) e duas em Terena (uma nas instalações da Junta de Freguesia e outra no Café Bar A Moagem).

Para todos os Amigos d’ Arte aqui está a sua obra para nos servir de alimento e companhia!
Texto de Matias José

PINTURA- Erotismo

João Paulo Galhardas


POESIA


Matias José

PROPOSTA IN (DECENTE)

A proposta que venho propor,
Propu-la um certo dia…
Certa mulher que conhecia
Muitos truques do amor.

Tudo o que ela fazia
Era um imenso esplendor...
Sempre com muito calor
E uma enorme alegria.

Emanava um leve odor
Com cheiro a maresia…
A mulher que conhecia,
Tinha um forte sabor!

Olhar lindo quando sorria
Despontando como uma flor...
Suas faces em rubor,
Toda ela!... Que simpatia!

O resto… é (in) decente!!!

Matias José (26-03-2009)

5 comentários:

Anónimo disse...

É in(decente) e belo, tanto a pintura como a poesia. Qualidade de um que não faz esquecer a qualidade de outro. Continua a brindar-nos que os apreciadores de arte agradecem e muito!

João

xpto disse...

Muito bonito. Para recomeço não podias ter escolhido melhor.
Gostei muito
Um abraço
Chico Manel

Anónimo disse...

Em boa hora criaste o blogue para nos dares a conhecer coisas belas...

OBRIGADO

Anónimo disse...

É pena uma parte da parceria já não estar entre nós mas a vida é mesmo assim. Lá onde estiveres deves estar orgulhoso de um irmão poeta que não se esqueceu de mostrar a tua obra e que escreve poesia maravilhosamente!!

Anónimo disse...

Uma agradável surpresa este poeta. Escreve poesia com muita qualidade sobre os mais variados temas e com estilos de rima bem diferentes.
Continue assim!!!