quarta-feira, 7 de julho de 2010

ANIVERSÁRIO COM POESIA

Faz hoje, dia 7 de Julho de 2010, 87 anos, o poeta José Joaquim Camões Galhardas. Sendo um dia muito especial para mim, resolvi publicar um soneto da sua autoria escrito em 22 de Maio do ano 1996 em memória da poetisa Fernanda Seno, falecida no dia 19 de Maio do mesmo ano. Porque é dia de aniversário e a palavra PAI se escreve com três letras apenas, estas 87 primaveras, uma vida... em três quadras com dedicatória do Poet'anarquista, por tudo o que de bom me ensinou ao longo da vida. Abençoado sejas pai! 
Poet'anarquista 

José Galhardas
Poeta 

LIBERTAÇÃO

Subindo  ao  Céu,  envolta  em  Poesia…;
desceu  Fernanda  Seno  à  terra  fria.
Seus  lindos  versos,  duma  intensa  alvura,
choram  por  ela  a  sua  desventura,

cheios  de  Luz,  repletos  de  Harmonia!
Vestiu-se  o  Sol  de  luto  ao  Meio-Dia…;
choveram  lágrimas,  de  prata  pura…;
sobre  os  torrões  da  sua  sepultura

onde  o  seu  corpo  jaz,  (talvez  conforme…),
liberto    de  todas  as  cadeias
que  à  vida  prendem!-  Céus  de  <  Cheias!>>,

Cravos  e  Rosas!;  sob  a  terra  informe
o  sangue  rubro  das  azuladas  veias!
-  Fernanda  Seno,  no  Infinito,  dorme.

José  Galhardas (Alandroal, 22-05-96)                                                                   
                                                                     

87 ANOS, UMA VIDA...

Pai, tanto que eu queria
Que o tempo parasse agora!...
Que não chegasse esse dia,
Em que o tempo se vai embora.

Com olhos de quem então lia
O poema certo que a alma implora...
Oh coração poeta, tão bela sinfonia,
Dentro d'um peito aberto mora!

Pai, por ti soube como cedo escrevia
A palavra que sorrindo quase chora,
Depois aconteceu a mais linda poesia...
Escrita pelo POETA que te adora!!

POETA (07.07.2010) 

3 comentários:

Anónimo disse...

LINDO!!!
EMOCIONANTE!!!

Pai e Filho dotados de uma enorme sensibilidade Poética!!!

Parabéns a ambos!

Felicito o POETA PAI pelas suas 87
Primaveras. Um beijinhno ao Sr.
José Galhardas.

Uma Alandroalense enternecida.

Anónimo disse...

Como se costuma dizer, tal pai tal filho. Embora com um estilos diferentes de escrever poesia, não há dúvidas das qualidades destes dois amigos. Continuem com as palavras sentidas!

Maria

Anónimo disse...

Olha que dupla (certo que estou falando de poesia), senão a tanto não me atrevia...