Loading...

domingo, 9 de janeiro de 2011

MÚSICA - JOAN BAEZ

Também hoje cumpre aniversário Joan Chandos Baez, nascida a 9 de Janeiro de 1941 em Staten Island, Estados Unidos. Cantora de música Folk e dotada de uma voz melodiosa e limpa, Joan Baez ficou conhecida pelo seu timbre vocal muito particular e pelas posições políticas expressas publicamente, assim como em toda a sua obra discográfica e percurso musical. Esteve presente no festival Woodstock 1969, em protesto contra a intervenção americana no Vietname, onde interpretou duas das mais belas melodias da sua carreira. Poet'anarquista
Joan Baez
Cantora Folk Norte-Americana
Primeiros anos
A carreira profissional de Baez começou em 1959 no "Newport Folk Festival", onde com 18 anos, foi a grande revelação. Lançou pela Vanguard Records no ano seguinte o seu álbum de estreia, "Joan Baez", uma coleção de baladas tradicionais que vendeu moderadamente bem, chamando a atenção pela qualidade do repertório e pelo seu talento na guitarra acústica, aliado à sua bela voz de soprano. O álbum seguinte, "Joan Baez, Vol. 2", foi lançado em 1961. Ganhou um disco de ouro, o mesmo acontecendo com "Joan Baez in Concert", de1962. Com apresentações regulares, Joan Baez tornou-se um fenómeno artístico. Em 1963, já era considerada uma das cantoras mais populares dos Estados Unidos. Em 1964 lança o disco Joan Baez/5, incorporando neste trabalho uma seleção de populares canções folk dos Estados Unidos e da América Latina, com destaque para interpretações de composições dos músicos brasileiros Villa-Lobos e Zé do Norte. Além de folk tradicional e canções de protesto, ajudou a promover Bob Dylan, impressionada com suas composições iniciais e incluindo várias delas no seu repertório. Acabaram tornando-se namorados por um tempo, mas o relacionamento acabou em 1965. Entre os seu sucessos históricos desta época, podem ser citados "We shall overcome", "With God on our side", "All my trials", além de outros.
Assim como Dylan, Baez foi influenciada pela Invasão Britânica e passou a usar, ainda que discretamente, acompanhamento eléctrico, além do seu violão a partir de "Farewell Angelina", de1965, pouco tempo depois de Dylan começar a experimentar o folk rock. No final dos anos 60, Baez flertou com a poesia (lançando o livro "A Journey Through Our Time") e com a música country (com "One day at time", de 1968). No ano seguinte, lançaria um álbum duplo inteiramente dedicado às canções de Bob Dylan, "Any day now". Também tocou em Woodstock, numa época em que estava inteiramente envolvida na luta contra a Guerra do Vietname.
Em 1968 ela casa-se com David Harris, um proeminente opositor da Guerra do Vietname que seria preso no mesmo ano. Harris, fã de música country, fez com que Baez fosse mais influenciada pelo country rock, começando com "David's Album", de 1970 e culminando com o duplo "Blessed are", de 1971, o seu último disco pelo selo Vanguard. A sua versão de "The Night They Drove Old Dixie Down" da The Band foi um sucesso, entrando para o Top Ten americano.
Anos recentes
Baez migrou para a A&M Records em 1972, lançando "Come From The Shadows", um álbum explicitamente político, com ácidas críticas ao Vietname. Após o álbum "Heres to life"(1974), gravado em espanhol, com canções latino-americanas, ela passou a flertar com o pop e a investir nas suas próprias músicas, culminando com o elogiado "Diamonds & Rust" em 1975, o seu disco de maior sucesso nos anos 70. Em 1976, voltou a  apresentar-se com Bob Dylan e gravou o duplo ao vivo "From every stage", onde demonstrava a sua permanente empatia com o público. No final dos anos 70, mudou brevemente para a CBS Records, lançando "European Tour" em 1980, um disco ao vivo, acústico, que marca um retorno a certa simplicidade musical e talvez, ao melhor formato artístico para o seu estilo. Nos anos 80, Joan Baez continuou a apresentar-se com frequência, mantendo um público fiel, mas deixou de gravar discos para grandes editoras, registando o seu repertório de forma esporádica por pequenos selos e editoras independentes.
Nos anos 90, apesar dessas mudanças constantes de editora, Baez continuou lançando os seus álbuns. O CD "Ring them bells", de1996, foi considerado o melhor trabalho de folk contemporâneo do ano, por revistas especializadas no género. O seu último foi "Dark Chords on a Big Guitar", de 2003, após alguns anos sem gravar.
Joan vive em Woodside, Califórnia.
O Retorno à Bilboard
Em 2008, Joan Baez comemorou os 50 anos de sua carreira musical com digressões pelos Estados Unidos e Europa. Também lançou o CD Day After Tomorrow, de 2008, produzido pelo cantor e compositor Steve Earle. O CD marcou a volta de Joan ao Top 200 da Billboard, alcançando na semana de lançamento do álbum a posição de número 128, após 29 anos, ou seja desde Honest Lullaby.
Fonte: Wikipédia
Amigos d'Arte deixa-vos com duas preciosidades musicais, Joe Hill & Swing Low e Sweet Chariot, interpretadas por Joan Baez no festival Woodstock de 1969.
Poet'anarquista
"JOE HILL & SWING LOW" - "SWEET CHARIOT"
JOAN BAEZ - WOODSTOCK


A pedido de uma alma sensível, "Song of Bangladesch" de Joan Baez...
Poet'anarquista
"SONG OF BANGLADESCH"
JOAN BAEZ

3 comentários:

Ana Paula Fitas disse...

"Joe Hill" é lindo... e "Bangladesh" inesquecível... já tentei encontrar no Youtube e não consegui... além disso, tive o prazer de assistir a um concerto de Joan Baez num Festival da edição do Cascais Jazz... Boa evocação!
Obrigado.
Beijinho.

Ana Paula Fitas disse...

Já lá está, meu amigo :)
"surripiado", com a fonte bem identificada e enquadrado de um modo que penso irás gostar de ver.
Bjs

Camões disse...

Minha grande amiga, a cultura é uma fonte inesgotável de saberes para partilhar, isso sim!

E como culturalmente sempre o fizemos, a palavra surripiar está fora de questão.

Pode e deve empregar-se neste caso a palavra "Partilha".

Bjs!