segunda-feira, 30 de maio de 2011

A NOSSA CANDEIA - «AS FLORES E OS HOMENS...»

A meu pedido, o texto de Ana Paula Fitas «As Flores e os Homens...», publicado no blogue «a nossa candeia» no dia 24 de Maio de 2011, faz agora honras de publicação no Poet'anarquista. Por se tratar de um texto essencialmente sobre a beleza natural das flores (neste caso a flor de alandro e a sua ligação histórica à vila d'Landroal, assim como a referência à flor de tília que imediatamente me recordou a magnífica tília que se encontra no jardim da casa dos meus avós paternos, ou à nossa amiga Maria José Manuelito as recordações das tílias da Quinta dos Peixinhos) e a natureza humana, o seu conteúdo é uma importante reflexão a quem teimosamente continua sem querer ver ou entender toda a beleza que o rodeia, preferindo viver na ilusão de palavras que o não são, escritas por quem na verdade não sabe se existe. O ódio e o rancor amarguram os seres humanos tornando-os presas fáceis da sua própria cobardia.
Poet'anarquista
Jacarandá
Flor de Jacarandá

Tília
Flor de Tília

Alandro
Flor de Alandro
Texto por Ana Paula Fitas
24/05/2011

Link para «a nossa candeia» - As Flores e os Homens...

Caminho devagar sob o perfume de antigas e frondosas tílias em flor e enquanto me aproximo do chão coberto pela flor do jacarandá, o horizonte oferece-me ao olhar o viçoso brilho de magníficos alandros cor-de-rosa! 

É então que a alma não resiste ao sorriso e se percebe que a vida é muito mais do que a vã ilusão dos homens... 

ficam assim remetidas para o esquecimento as palavras inúteis com que se tentam magoar os seres, na ânsia doentia de criar suspeições e medos - desvarios de quem não tem outro recurso para além da gratuita raiva que mais não faz do que bloquear caminhos reais de lucidez que, contra a humana arrogância e cobardia, a natureza insiste em nos não deixar fechar...
Fonte: a nossa candeia

A Nossa Candeia/Comentário ao texto
29/05/2011

Camões disse...

«Das Trevas...»

Vives nessa ignorância escondido
Cobardemente, mísera alma penada,
Anonimamente julgas-te protegido...
Que triste existência amargurada!

«Para a Luz!»

Ó suave perfume das flores...
Ó homens de boa vontade:-
Fazei florir novos amores
E nos corações a claridade!

POETA

O texto está precioso!
Bjs.

«Flores e Sombra na Primavera Alentejana»
                                              Foto: Conceição Roque

MANHÃ PRIMAVERIL

Primavera linda, ó mar de flores,
em tapete de mil cores convertida...
De campos sem fim, eternos amores,
Luz dos meus olhos aqui aparecida>!

Para te cantar, de forma majestosa,
Em todos os lugares onde floresces:
Primavera renascida, a mais ditosa,
Luz do meu olhar quando amanheces!

Soubera eu escrever este soneto
Suave e doce, num breve instante...
Uma palavra para tão belo momento!

Celebrar uma Primavera fulgurante
Onde o poeta transmita sentimento,
Como quem se anuncia deslumbrante!

Matias José

6 comentários:

Ana Paula Fitas disse...

Obrigado Kabé, pela gentil e bela referência!... ficam as flores, as minhas palavras e todos os leitores do Poet'Anarquista a ganhar com as boas palavras e os belos poemas em que é enquadrada :)
Muito, muito obrigado por este tão belo post.
Um beijinho :))

Anónimo disse...

Eu não sei o que dizer
do Texto, Flores e Quadras;
Ler, foi um enorme prazer,
do SENTIR...nem digo nada!...


Se mais disser, estrago...

Grata pela Partilha.

Uma Alandroalense (L...)

Anónimo disse...

Que extraordinária lição de humanismo se pode retirar do texto de Ana Paula Fitas e do comentário em forma de quadras do POETA. Acaso as pessoas perceberam a profundidade das palvras escritas? Espero bem que sim...

Amigo de ambos

Ana Paula Fitas disse...

Alandroalense (L...) e Amigo de Ambos,

Sabem?... as palavras e o Sentir que aqui nos transmitem são, sinceramente!, o que de melhor temos na Humanidade... Obrigado por fazerem do mundo - do nosso mundo!-, um mundo melhor!

Um grande abraço e um beijinho.
Bem-hajam!

Anónimo disse...

Amigo, também o ácido desoxirribonucléico e ácido ribonucleico são factores determinantes no prumo da personalidade e em excesso pode causar erupção cutânea e marasmo cerebral digo eu, Watson e Crick … eheeheheh!

Beijo e flor de tília
M.José

Anónimo disse...

Se me é permitido, saúdo a minha amiga Maria José Manuelito (Zézinha)
O Mundo é pequeno...

Beijos perfumados de Primavera.

Amigas da Amadora (L...)