terça-feira, 7 de agosto de 2012

POESIA - MATIAS JOSÉ

«Mãe Morta»
Lasar Segall

MÃE!...

Mãe!...  Esse  terno  rosto,  lindo  sorriso
Quando  na  casa  humilde  me  acolhias...
Oh!...  Como  tudo   parecia  caloroso,
Do  jeito  manso  que  sempre  sorrias!

Mãe!...  A  casa  tão  pequenina  acolhedora
De  uma  estranha  paz  no  seu  aconchego,
E  as  imagens  da  Virgem  Nossa  Senhora
Reconfortando  a  alma  em  desassossego!

Mãe!...  Com  as  tuas  mãos  entrelaçavas
As  minhas  que  dormir  quase  pareciam,
              Ouvindo  a  tua  voz  enquanto  rezavas              
Pedir  à  Virgem  pelos  que  mais  sofriam!

Mãe!...  Quanta  saudade  do  teu  regaço,
Desses  ternos  carinhos  que  fazias...
Dos  teus  beijos,  do  suave  abraço,
E  das  palavras  doces  que  me  dizias!

Matias  José 

«Fim e Começo»
Lasar Segall

4 comentários:

Anónimo disse...

MATIAS JOSÉ:

Muito Obrigada por partilhar "ESSE TÃO DOCE E SENTIDO DESABAFO !!!...

Uma Alandroalense (L...)

Anónimo disse...

Com um abraço para o Poet'anarquista.

Anónimo disse...

Sentidos pêsames para Matias José e família.

Anónimo disse...

Pintura e poesia em total harmonia. BRAVO!