sexta-feira, 17 de agosto de 2012

POESIA - MATIAS JOSÉ

«Costumes Alentejanos»
Jaime Martins Barata

MODA DO CHAPÉU PRETO

Mas que lindo chapéu preto
Memória de um tempo passado…
Todo o chapéu posto com jeito,
Fica bem a quem o traz usado!

Chapéu preto, chapéu preto,
Quem o põe é com preceito…

Mas que rico chapéu preto
Compõe aquela linda cabeça...
Não se sabe o que vai dentro,
Não há ninguém que a conheça.

Chapéu preto, chapéu preto,
Quem o põe é com preceito…

Mas que pobre chapéu preto
Naquela triste cabeça vai…
Todos sabem que é honesto,
Filho de boa mãe e bom pai!

Chapéu preto, chapéu preto,
Quem o põe é com preceito…

Mas que novo chapéu preto
Mesmo agora foi a estrear…
Lá p’rós lados do deserto
Onde o sol teima em queimar!

Chapéu preto, chapéu preto,
Quem o põe é com preceito…

Mas que velho chapéu preto
Que de preto, já pouco tem…
Correu o mundo por certo
E nunca foi de ninguém!

Chapéu preto, chapéu preto,
Quem o põe é com preceito…

Matias José

4 comentários:

Anónimo disse...


MATIAS JOSÉ:

BRILHANTES !!!

TIRO O MEU CHAPÉU !!!

Muito Obrigada.

Uma Alandroalense (L...)

Anónimo disse...

Tem toda a razão a alandroalense, as quadras estão de se lhe tirar o chapéu. BRAVO!!!

Anónimo disse...

Muito bonito!

Anónimo disse...

Devia ficar bem musicado...