quinta-feira, 16 de agosto de 2012

REQUALIFICAÇÃO DO PATRIMÓNIO

Obra de Requalificação
Castelo de Alandroal

Alandroal: Obra de Requalificação do Interior do Castelo Segue a Bom Ritmo

Os trabalhos de prospecção arqueológica marcaram as primeiras fases da obra e revelaram, tal como era esperado, que o espaço designado como “antigo cemitério” serviu, de facto,  esta finalidade desde muito cedo na história do castelo do Alandroal. De entre os objectos encontrados neste local destacam-se algumas “estelas funerárias” que estão agora a ser estudadas.

Para além de um “silo” comum com cerca de 2 metros de diâmetro, foram ainda identificadas algumas estruturas correspondentes a “muros” ou fundações de antigos edifícios com pouca monumentalidade e difíceis de classificar, que serão novamente recobertos e preservados no decurso da obra.

Para além do obrigatório acompanhamento arqueológico a cargo da autarquia, a obra está a ser acompanhada pelos técnicos da Direcção Regional de Cultura/IGESPAR que na última visita técnica efectuada, em 23 de Julho, se mostraram plenamente satisfeitos com as metodologias e soluções até aqui adoptadas e com o andamento geral dos trabalhos.

Importa salientar que esta obra não se iniciou sem que estivesse assegurado o parecer favorável das entidades competentes, conseguido após várias reuniões de articulação entre os técnicos da Direcção Regional de Cultura, os projectistas e os técnicos da autarquia.

Todos os achados mais relevantes, assim como o registo fotográfico e em vídeo desta fase da obra serão, em fase posterior, reunidos num Centro Interpretativo do Castelo do Alandroal, um pequeno núcleo museológico dedicado à história deste imóvel classificado como monumento nacional e que será criado no interior do mesmo.

A intervenção agora em curso corresponde apenas à primeira fase de um plano da autarquia para a total recuperação e dinamização cultural, social e turística do castelo do Alandroal que passa, nas fases subsequentes, pela revitalização do restante espaço público (ainda propriedade privada), pela recuperação do “caminho de ronda”, acesso à torre de menagem e instalação do centro interpretativo.
Fonte: gabinete d’imprensa/cmalandroal

Câmara Municipal de Alandroal
Vila d'Landroal

6 comentários:

Anónimo disse...


Muitíssimo Obrigada por esta EXCELENTE POSTAGEM !!!

Uma Alandroalense (L...)

Anónimo disse...

Amiga Conceição
Conheço-te há muitos anos e sei o teu valor e dedicação na profissão que exerces. Todo o concelho conhece o teu trabalho, foi aqui que começaste a tua incursão no mundo da arqueologia e, diga-se em abono da verdade, não poderias ter tido melhor mestre. Manuel Calado está sem dúvida ligado ao concelho do Alandroal através do lançamento da carta arqueológica, por sinal a primeira a ser editada no país. Quis o destino que uma sua aluna viesse agora fazer a revisão da carta, sob sua orientação, de nome Conceição e de quem muitos amigos no Alandroal se orgulham por ter como amiga. Eu não fujo à regra e estou muito feliz por ti. Força, confiamos na tua honestidade como profissional!


Anónimo disse...

Faço minhas as palavras do comentário das 22:30.

Camões disse...

Cara conterrânea:

Tenho 52 anos e conheço perfeitamente a personagem em questão. Nenhuma novidade para mim.

Aceite a minha sincera amizade, é essa que conta.

Cumprimentos,

Kabé

Anónimo disse...

Faço igualmente minhas as palavras do comentador do dia 17 de agosto às 22.30.

Bom trabalho Conceição!

Anónimo disse...


Caro Conterrâneo:

Não é por acaso... que comungamos
da MESMA OPINIÃO !!!...

Desejo á Dr.ª Conceição QUE O SEU TRABALHO SEJA COROADO DE EXITOS !

F O R Ç A !!!!!


Uma Alandroalense (L...)