quarta-feira, 25 de novembro de 2015

OUTROS CONTOS

«Sapo-Cavaco», conto poético por Matias José.

«Sapo-Cavaco»
Décima de Matias José

672- «SAPO-CAVACO»

Engolindo um sapo,
Estou ainda a mastigar…
Está a custar a passar
Da goela pró papo!
Desta já não escapo
Vou ter que o digerir,
Difícil de engolir
Este maldito anfíbio…
Provoca-me distúrbio
Não o poder expelir!!

POETA

2 comentários:

Anónimo disse...


M A G N Í F I C A !!!


OS ESTUPORES DEVIAM SER TODOS "ENGAIOLADOS" !!!...

Uma Alandroalense aliviada... (Liva)

Anónimo disse...

Tem a comentadora carradas de razão, todos na cadeia e contas congeladas. Este e outros estupores nada mais têm feito que roubar o povo. JUSTIÇA!