sábado, 29 de novembro de 2014

REPESCANDO...

Repescando umas décimas que escrevi, e a propósito dos inúmeros casos de corrupção que vão sendo conhecidos dos portugueses (para muitos isto não é nada de novo, e outros há que vêm alertando a opinião pública para o flagelo da corrupção - leia-se crise que nos roubou todos os direitos consagrados e deixou o país na miséria e endividamento), mesmo assim querem nos fazer crer que vivemos acima das nossas possibilidades e que é o povo o grande culpado de toda esta situação de desastre económico. Até quando o povo vai aguentar esta mascarada encapotada?
Poet'anarquista
«Desigualdades Sociais»
O Flagelo da Corrupção

REFLEXÃO...

Décimas Populares

MOTE

Esta mascarada enorme
Com que o mundo nos aldraba,
Dura enquanto o povo dorme,
Quando ele acordar, acaba.

António Aleixo

Glosas

Demora esta gente pra acordar
Começa a ser grande o desleixo,
Ó grande poeta António Aleixo:
Quando vai o povo despertar?
De norte a sul ouço protestar
A desigualdade é enorme,
Muitos no país já passam fome
E uns poucos a enriquecer,
Só mesmo tu não queres ver
Esta mascarada enorme!

Promessas são aos centos
Em vésperas d’ eleições,
Esses enganosos camaleões
Logo esquecem os juramentos.
Começam por faltar alimentos
Triste carência em nós desaba,
E ainda quem de tal se gaba
Com tantos a ganhar menos…
Sofrem mais, os mais pequenos,
Com que o mundo nos aldraba.

Podes enganar muitas vezes
Mas não o tempo todo...
Deixar atolados no lodo
Sempre os mesmos fregueses?
A mentira tem seus reveses
E saciada, já pouco come,
No dia em que se transforme
E desperte do sono profundo…
Esse mau estado moribundo
Dura enquanto o povo dorme.

Nada é certo eternamente
Eis uma verdade ‘la Palice’,
Cair sempre na mesma idiotice
Não se caie seguramente.
Um idiota quando nos mente
Deixa escorrer saliva e baba,
E pra que ninguém disso saiba
Engole seu cuspo nojento…
Enganas o pobre sofrimento,
Quando ele acordar, acaba!

Matias José

«Eles comem tudo, e não deixam nada!»


6 comentários:

Anónimo disse...


EXCELENTE PUBLICAÇÃO, CARO AMIGO !!!

EM PLENA SINTONIA !!!

"GRANDES FILHOS DA PUTA" !!!...

Uma Alandroalense Revoltada (L...)

Anónimo disse...


Como sofreu "censura" e como não há que ter "medo", é desta que me vou identificar:

"Uma Alandroalense Revoltada (L...)"

(L...) Igual a LIVA

LIVA é: Maria Olívia Neves de Carvalho Gomes

Camões disse...

Afinal de contas, conterrânea Liva, não se tratou de censura. O que realmente se passou, foi o seguinte:

«Tudo esclarecido sobre a publicação que julguei sofrer censura.»

Como achei muito estranho, tendo em conta os mimos com que no facebook são brindadas certas figuras públicas envolvidas em casos de corrupção, e outras suspeitas do mesmo flagelo social, tentei perceber o que se passava.

Descobri por exclusão de partes (eliminando o texto e as décimas populares), que afinal o problema tem que ver com a foto que acompanhava os mesmos (prosa e poesia). Isto é, a foto está protegida por direitos de autor no facebook. Só através de publicação no blogue a consegui reproduzir no facebook.

Vou então publicar no facebook o pequeno texto que escrevi e as respectivas décimas, bem como foto alternativa àquela que se encontra no blogue.

Peço desculpa por a ter induzido neste equívoco, mas foi a primeira vez que tal me aconteceu no facebook.

Se pretender a eliminação dos seus comentários, é favor me comunicar.

Então, desta vez...

Cumprimentos para a conterrânea
Maria Olívia Neves de Carvalho Gomes, ou simplesmente Liva.

PS- A Liva foi a poetisa que deu o mote para as décimas que escrevi sobre o 25 de Abril...

MOTE

São Cravos Senhor são Cravos
que vislumbro com desgosto...
tornaram-nos um POVO escravo,
caem lágrimas em tanto rosto!

Uma Alandroalense (L...)

Lembram-se?

Um abraço fraterno!

Kabé

Anónimo disse...


Caro Conterrâneo Kabé:

Folgo em saber que o motivo foi outro que não a censura !...

Muito obrigada por tão detalhada explicação.

Faço saber que NÃO PRETENDO A ELIMINAÇÃO DOS MEUS COMENTÁRIOS !

SÓ JÁ NOS RESTAM OS CRAVOS, CARO CONTERRÂNEO...

AINDA NÃO SE CUMPRIU O 25 DE ABRIL!...

"O POVO UNIDO, JAMAIS SERÁ VENCIDO"

"ELES COMEM TUDO,E NÃO DEIXAM NADA"

Um fraterno abraço !

Uma Alandroalense

L I V A



Camões disse...

E já agora, conterrânea Liva, quando se dispõe a enviar para o meu e-mail poesia sua? Cá fico à espera...

Cumprimentos para si e família,

Kabé

Anónimo disse...

Toda esta postagem magnífica!