quinta-feira, 8 de setembro de 2011

DIÁLOGO PARA TEATRO

«Vida e Morte»
João Paulo Galhardas

DONA  VIDA…  DONA  MORTE…
( Pensando  no  teatro  -  Diálogo  entre  vida  e  morte )

Dona  Vida:
Tu  que  dormes  a  meu  lado
Desde  o  dia  em  que  nasci...
Diz-me: Qual  o  dia  esperado,
Ou  será  que  já  morri?

Dona  Morte:
Vai  vivendo  e  aguarda,
De  ti  eu  não  me  esqueço...
O  tempo  não  me  diz  nada,
Sou  órfã,  não  tive  berço!

Dona  Vida:
Falas  e  não   entendo…
Nunca  sei  o  que  pensar,
Será  que  estou  morrendo
Para  de  novo  começar?

Dona  Morte:
Tudo  acaba  no  princípio
Sem  se  saber  que  é  assim;
Como  os  Deuses  no  Olímpio,
Tu  também  terás  um  fim!

Dona  Vida:
Leva-me, não me  esperes…
Pode  ser  de  madrugada,
Ou  então  se  quiseres,
Ao  raiar  da  alvorada!

Dona  Morte:
Não  és  tu quem  decide
O  tempo  que  foi  escolhido...
A  vida  não  divide
O  que  já  está  dividido!

Dona  Vida:
És  obscura  morte  canalha
Não  sei  se  te  quero  ver,
Vives  no  fio  da  navalha...
Um  dia  hás-de  morrer!

Dona  Morte:
Ora  bem,  até  que  enfim,
Podes  vir…  chegou  o  momento,
Neste  mundo  tudo  tem  fim…
Acabou  agora  o  teu  tempo!!

Dona  Vida:
Adeus  morte  fico  por  cá
Não  tenho  pressa  de  partir,
Sei  que para  o  lado  de  lá
Todos  teremos  que  ir!!!

Dona  Morte:
Ao  Diabo  vida!

Dona  Vida:
A  Deus  morte!

Matias  José 

3 comentários:

xpto disse...

Não há palavras para catalogar esta postagem.
Apenas me ocorre : Excelente

Um abraço amigo
Chico

Anónimo disse...

IMPRESSIONANTE!!!
"TUDO" em Perfeita Sintonia!
É sempre um Enorme Prazer visitar
este BLOGUE!!!
Muitíssimo Obrigada.

Uma Alandroalense (L...)

Anónimo disse...

SIMPLESMENTE SENSACIONAL!