sábado, 24 de setembro de 2011

SOBRE ABUSO DE PODER

«O Abuso de Poder»
A EXCEPÇÃO E A REGRA
 Estranhem o que não for estranho.
Tomem por inexplicável o habitual.
Sintam-se perplexos ante o cotidiano.
Tratem de achar um remédio para o abuso.
Mas não se esqueçam
de que o abuso é sempre a regra.
Bertold Brecht

DESABAFO CONTIDO 

Hoje, sinceramente, estou num daqueles dias
Em que o melhor era nem ter despertado.
Ninguém dava pela minha falta…
Nem sequer eu próprio.
Estou assim nesta inquietude,
Esperando que os próximos tempos
Passem o mais rápido possível
E eu possa finalmente respirar de novo.
Resolvi escrever para o blogue este desabafo contido
Para me proteger dos espíritos maus.
Este amigo, embora não me responda, é de todo fiável.
Quem entrar no blogue saberá apenas uma pequena parte…
Nada mais!
Faz tempo que as coisas não andam bem.
Começou há cerca de dois anos atrás
E, como não podia deixar de ser,
Com reflexos negativos nas relações familiares e de amigos.
Fico muitas vezes sem paciência para aqueles que mais gosto
E que habitualmente me dão alguma da sua atenção.
Comecei também a ter dificuldade de concentração
E, por conseguinte... 
A poesia que me serve de alimento e companhia, não flui. 
Para esquecer um pouco toda esta situação
Saio à rua para ir ao café e encontrar os amigos.
Puro engano… os amigos estão lá, mas eu não!
De seguida volto para casa…
E assim se têm passado um pouco os últimos dias,
Neste vai-vém entre me encontrar fugindo,
E fugindo de me encontrar.
Tudo isto é passageiro, como passageira é a existência de uma vida.
Deus levou João Paulo apenas com trinta anos de idade…
Eu já tenho cinquenta!
Sou um felizardo, já vivi mais vinte anos,
No entanto tudo parece tão recente…
Olho em redor, uma casa vazia e em silêncio.
No quintal, refugiados da esturrinha do sol,
Os cães permanecem no telheiro dos fundos
Esperando que a noite traga temperaturas mais agradáveis.
Dentro de casa o mesmo silêncio
Só interrompido pelo bater das teclas do computador. 
Dou por mim escrevendo uma prosa desalinhada e sem sentido,
Quem ler pensará que tudo não passa de uma mistura de palavras
Para esconder o que realmente vai na alma.

Matias José

4 comentários:

Anónimo disse...

"O nosso Amor-Próprio exalta-se mais na solidão: a sociedade reprime-o pelas condições que lhe impõe."
(Marquês de Maricá)


"Ontem vi tudo acabado, meu céu desastrado, medo, solidão, ciúme.
Hoje cantei a estrelas e a VIDA parece um Fime."
(Chico Buarque)

Uma Alandroalense (L...)

Camões disse...

Cara (L...)

O texto já faz um ano que escrevi...

Preocupa-me sobretudo o que poderá vir por aí em matéria de abuso.

A anunciada medida de despedimento com justa causa é uma arma muito perigosa nas mãos de certo poder sem cabeça...

Do coração nem vale a pena falar.

Alerta!

Saudações alandroalenses...

Carlos Camões Galhardas

Anónimo disse...

Caro Conterrâneo Camões Galhardas:

Partilho TOTALMENTE da sua Opinião!

O "Poder" não olha a meios para obter fins!!!...

Há que estar em alerta Permanente!!!

Saudações alandroalenses...

Uma Alandroalense apreensiva... (L...)

Anónimo disse...

Gostei muito do texto Cabé. Os abusos começam sempre por ser psicológicos como muito bem referes no que escreveste. Depois desse abuso seguem-se outros já com os abusados em posição diminuída. Muito importante estar sempre alerta para perceber quando chega o primeiro ataque de abuso. Estou contigo nesta causa!

Vítima de abuso