sexta-feira, 2 de setembro de 2011

POESIA - MATIAS JOSÉ

«Solidão»
Escultura de Mateus Lopes

NOITES LONGAS

As noites que percorro
Nos caminhos da solidão,
São tempos que passaram
E não voltam mais…
Então porque olhais?
Palavras que se amaram
Como um único coração,
Só… perdido num morro!

As noites longas e frias
Onde habito e revejo
O rosto terno do menino...
Sentado junto à lareira,
De olhos fixos na fogueira,
Oh... como tudo era divino...
Sentindo o teu longo beijo
E tu nunca me sentias!!

 Matias  José 

2 comentários:

Anónimo disse...

E como sempre..., EXCELENTE!!!
Muito Obrigada.

"É a Solidão que inspira os POETAS, cria os ARTISTAS e anima os GÉNIOS".
Henri Lacordaire

Uma Alandroalense (L...)

Anónimo disse...

Esta poesia é muito bonita. Parabéns ao poeta pela sua extraordinária sensibilidade e boa continuação na escrita.