sábado, 16 de julho de 2011

POESIA - MATIAS JOSÉ

«Cinzas»
Edvard Munch

A  MORTE ANUNCIADA

Pode  parecer  estranho  morrer  por  amor
Mesmo  quando  o  amor  não  quer  morrer,
Da  vida  sofrida  já  nada  querer…
Sofrer  por  amor,  essa  maldita  dor!

Esperar  que  amanheça  um  novo  dia
E  o  amor  volte  para  poder  sorrir,
Continuando  a  esperar  sem  desistir…
Ter  no  despertar  nova  alegria!

Que  posso  então  eu  mais  fazer
Para  que  me  ames  como  amavas  outrora?...
Talvez  o  momento  tenha  chegado  agora,
De  partir  para  não  mais  te  ver!

Oh!...  E  se  a  morte  me  trouxer  sossego
Num  qualquer  lugar  onde  te  amar,
Pode  o  mais  depressa  chegar...
Só  espero  que  venha  cedo!

Morrer   em  segredo…  é  ter  medo!!!

Matias José

4 comentários:

Camões disse...

Agradeço a quem souber o autor/a da pintura «...Morrer...», o favor de me contactar através do blogue.

Obrigado!

Rogério Pereira disse...

Se souber, digo...

Entretanto, podes lincar o nome de Matias José a outros dados seus?
Que obra mais tem?

Camões disse...

Rogério:

Os meus dados estão no perfil do blogue.

O poema «A Morte Anunciada» faz parte da obra pessoal (não editada) «Buraco da Alma e Libertação da Alma».

Gosto de escrever, é um prazer...

Saudações

Anónimo disse...

Bravo POETA, Adorei!!!
Fiquei sem palavras.
O meu silêncio aqui deixo!...

Uma Alandroalense (L...)