quinta-feira, 6 de março de 2014

II CONCURSO DE POESIA POPULAR

Publicação das décimas de Matias José (desta feita com o pseudónimo Manuel de Sousa) ao «II Concurso de Poesia Popular». Por não terem sido classificadas em lugar de prémio, faço divulgação antecipada das mesmas no espaço «Amigos d'Arte». Aos premiados, assim como a todos os outros participantes, envio um abraço especial com o sentimento de dever cumprido. Para terminar este curto preâmbulo, e em jeito de remate a todos os poetas populares.... «Nunca deixem de escrever poesia!».
Poet'anarquista
II Concurso de Poesia Popular
Iniciativa: Câmara Municipal de Alandroal

MOTE
(Desconheço Autor)

Caldeta de peixe do rio
Na V mostra do Alandroal
Feita por gente com brio
Não encontra outra igual

*** 

Glosas

Barbo fresco na cozinha…
Poejos da ribeira e tomate,
O alho também faz parte
E meia cebola cortadinha.
Miolo de pão ou farinha
Um decilitro d’azeite de fio,
A pimenta, se assim decidiu
Mais as sopas de pão duro…
Chamam a este sabor puro
Caldeta de peixe do rio.

2ª 
Num tacho junta-se o azeite
E os temperos, tudo bem pisado,
O peixe previamente arranjado
Mais a cebola por cima deste.
Tomate moído quanto baste…
Miolo ou farinha da nacional,
Cobrir d’ água fria natural
E ferver em lume brando ao fogão,
Servir quente com sopas de pão
Na V mostra do Alandroal.

De diversas formas a arte
Se manifesta dentro da gente,
Preparar a sopa sabiamente
Da cultura também faz parte.
Se vens de visita desejar-te
Uma boa caldeta à beira-rio,
De todas a que mais aprecio
Com peixe acabado de pescar...
Eis a arte de bem cozinhar
Feita por gente com brio!

Caldeta feita a preceito
Deve ser bem condimentada,
Assim também um soneto
Obedece a métrica acertada.
Pelas gentes confecionada
De sabor único, tão especial,
É no concelho do Alandroal
Muito apreciada esta iguaria…
Com tal requinte e sabedoria
Não encontra outra igual!!

Matias José

4 comentários:

xpto disse...

Eu gostei e opino que se enquadra perfeitamente dentro do mote obrigatório.
Se a tua não foi premiada, vamos por certo ter excelentes poesias neste concurso.
Como dizes haja sempre quem escreva poesia e que esta tradição se mantenha por muitos anos na nossa gente.
Um abraço
Chico

Anónimo disse...

Premiadas ou não, as décimas estão muito bem feitas e até podem servir de cartão de visita para quem não sabe como se faz uma caldeita de peixe do rio. Estou a falar num folheto, ou coisa parecida. Muitos parabéns ao poeta!

Anónimo disse...



M A G N Í F I C A S !!!

PARABÉNS, MANUEL DE SOUSA !!!

Por enquanto, fico por aqui..., reservo-me para mais tarde !...

Uma Alandroalense (L...)

Anónimo disse...

Décimas muito bem construídas a fazer jus à poesia popular.

Colega de décimas