sábado, 17 de dezembro de 2011

MORTE DE CESÁRIA ÉVORA

Morreu hoje a «diva dos pés descalços», como era conhecida Cesária Évora, aos 71 anos de idade. Foi a cantora com maior reconhecimento mundial de toda a história da música popular cabo-verdiana. Apesar de bem sucedida em diversos estilos musicais, foi a «morna» onde mais se notabilizou, ficando por este motivo também conhecida como a «rainha da morna». Paz à sua alma!
Poet'anarquista
Cesária Évora
Cantora Cabo-Verdiana
Morte de Cesária Évora

O músico cabo-verdiano Tito Paris lamentou este sábado a morte de Cesária Évora, companheira de palcos e de brincadeiras, salientando que a música da cantora não morre e será ouvida «até ao último dia das nossas vidas».

Em declarações à Lusa, Tito Paris afirmou estar «muito triste» com a morte da sua amiga, referindo que «o mundo da música e Cabo Verde a partir de hoje ficaram mais pobres, tal como enriqueceram no dia em que ela nasceu».

«O artista e o poeta praticamente não morrem. Desaparecem mas não morrem e nós vamos ouvir Cesária até ao fim da nossa vida, ela vai existir com as suas mornas e coladeras até ao último dia das nossas vidas», considerou.

Tito Paris recordou as «brincadeiras» de muitos anos de cumplicidade com a cantora, uma «pessoa muito bem-disposta, muito porreira» que praticamente o viu nascer.

«Eu fazia-lhe cócegas, ela tinha muitas cócegas, e brincava com ela chamando-lhe «a minha namorada», dizendo que ia casar com ela. Ela respondia-me: «você diz isso só no meio das pessoas, quando estamos sozinhos você não diz nada disso», recordou.

Quando ia a casa da cantora, Tito Paris tinha também especial gosto em provocá-la, abrindo as suas gavetas e indo-lhe ao frigorífico, o que levava Cesária Évora a censurá-lo: «você pensa que isto aqui é a sua casa?!».

Conhecida no Mundo

«Cesária Évora é conhecida em todo o mundo e, hoje, é o mundo que também chora connosco. Queremos enviar um abraço de conforto a todos, em todos os cantos do mundo», afirmou Mário Lúcio, ministro da Cultura de Cabo Verde, ele próprio músico e compositor que cantou inúmeras vezes com a «Diva dos Pés Descalços» e cuja vida, disse, aprendeu a admirar.

«A cultura cabo-verdiana acaba de perder uma das suas figuras mais proeminentes. Cesária é a tradução mais universal da palavra Cabo Verde. É um momento de profunda consternação e de dor, que atravessa todos os sentimentos bons que nos deixou», acrescentou. Tinha uma «alma que representava» todo o povo cabo-verdiano.

O ministro da Cultura cabo-verdiano indicou ser ainda cedo para se pensar nas cerimónias fúnebres, indicando que o Governo vai reunir-se, ainda neste fim-de-semana, para definir os pormenores. Lembrando a amizade de muitos anos, Mário Lúcio disse sentir-se como se sentem todos os cabo-verdianos: «fiquei sem um pedaço de mim».
Fonte: IOLMúsica
«SAUDADE»
CESÁRIA  ÉVORA

2 comentários:

Camões disse...

É reconfortante ouvir o ministro da cultura de Cabo Verde Mário Lúcio, dizer sobre a morte de Cesaria Évora: «fiquei sem um pedaço de mim».

E eu fiquei sem palavras...

Kabé

Anónimo disse...

APENAS E SÓ: S A U D A D E !!!...


Uma Alandroalense (L...)